Conheça os tipos de cadeiras de rodas e seus benefícios

conheca-os-tipos-de-cadeiras-de-rodas-para-diferentes-deficiencias.jpeg

A correta escolha de uma cadeira de rodas é de suma importância para que se atinja um real ganho de qualidade de vida para pessoas que tem restrição de mobilidade, melhorando a sua qualidade de vida.

Por isso, é importante que se conheça os diferentes modelos, tipos e configurações de cadeiras de rodas, para que a escolha atenda corretamente as necessidades do usuário, permitindo que ele tenha o maior benefício possível.

Além disso, pesquisar informações e obter ajuda de um profissional especializado da área da saúde são atitudes essenciais para a escolha da cadeira de rodas ideal, evitando cometer erros que podem prejudicar a qualidade de vida da pessoa com deficiência física.

Quer conhecer mais sobre os tipos de cadeiras de rodas? Então continue a leitura e saiba para qual tipo de deficiência cada modelo é indicado!

Como escolher a melhor cadeira de rodas?

O momento de decisão de compra exige que muitos pontos sejam avaliados. Nunca um produto desse tipo deve ser comprado por impulso, pois devem ser avaliados fatores técnicos, financeiros, ambientais e de interesse do usuário.

É preciso considerar os objetivos do indivíduo, se quer a cadeira de rodas para ter independência de mobilidade em ambientes externos, se terá necessidade de um cuidador à disposição, se precisa que esse produto seja transportado no carro, entre outros fatores, tais como a condição física e motora, e as especificidades.

Qual a melhor opção: cadeira de rodas manual ou motorizada?

Cadeira de rodas manual

Esse é o tipo de cadeira de rodas mais usual. Ela pode ser impulsionada pelo próprio usuário ou movimentada pelo cuidador através de manoplas no encosto do equipamento.

A cadeira de rodas manual somente se movimenta com a força humana — e sua velocidade depende da força aplicada às argolas de propulsão. O direcionamento dela é feito pela diferença de velocidade empregada nas rodas traseiras.

Essas cadeiras de rodas se aplicam a situações em que o usuário possui nenhum ou pouco comprometimento dos membros superiores e consegue uma boa independência com o modelo, ou à pessoas que não tem coordenação ou capacidade para dirigir uma cadeira de rodas motorizada e precisam de ajuda de um cuidador para se locomover.

Esses modelos manuais se subdividem em pelo menos dois tipos: ativa e padrão. As cadeiras ativas são normalmente compactas, leves e fabricadas de forma bastante personalizada para oferecer a maior adequação possível visando o mínimo consumo de energia na sua movimentação, construídas com chassis monobloco dobrável em “L” ou chassis dobrável em “X”. Essas cadeiras de rodas são indicadas para pessoas com nenhum ou baixo comprometimento dos membros superiores.

As do tipo padrão são voltadas para usuários com médio comprometimento dos membros superiores ou que não tem autonomia para se movimentar em uma cadeira de rodas manual sozinho, contando obrigatoriamente com a ajuda de um cuidador. Em geral tem um conjunto assento/encosto/apoio de braços mais abrangentes que as cadeiras ativas, visando um maior conforto e adequação na posição sentado. As do tipo padrão padrão também possibilitam a instalação de recursos mais avançados de seating, como estabilizadores de tronco, encostos e encostos anatômicos e almofadas especiais.

Como regra geral, pode-se considerar que as cadeiras de rodas padrão são menos compactas que as cadeiras de rodas ativas, devendo ser analisadas todas as características de ambas para não comprometer a saúde e independência da pessoa com deficiência física.

Cadeira de rodas motorizada

Esse tipo de cadeira de rodas conta com uma motorização para realizar os movimentos. Assim, o usuário não precisa fazer esforço para se locomover, sendo uma ótima opção para aqueles que possuem maior comprometimento dos membros superiores ou que precisam fazer maiores deslocamentos, os quais seriam muito desgastantes em uma cadeira de rodas manual.

Os motores são acionados por um controlador eletrônico que é alimentado por baterias recarregáveis. Para se locomover, o indivíduo precisa movimentar o joystick, que controla proporcionalmente a velocidade e direção pela sua inclinação, podendo ser instalado em diferentes posições conforme a necessidade do usuário, e possibilita fazer  manobras suaves.

A capacidade ideal das baterias depende de qual distância a pessoa pretende percorrer com uma certa carga. Quanto maior a capacidade das baterias, maior será a autonomia, porém o peso e o custo também serão mais elevados. São capacidades comuns de mercado: 26 Ah, 33 Ah, 38 Ah, 55 Ah e até 75 Ah. Além da capacidade, é importante que as cadeiras de rodas usem baterias VRLA ou GEL, pois são projetadas para aceitar muitos ciclos de cargas e descargas, além de serem permitidas para transporte aéreo.

As cadeiras de rodas motorizadas com fechamento em “X” são mais compactas e de menor peso, sendo mais adequadas para transporte em veículos convencionais não adaptados. Por outro lado, as do tipo monobloco são de maior peso e menos compactas, necessitando de veículos adaptados para transporte. Em alguns casos oferecem recursos como elevate, tilt, standup e podem ter opção de suspensão. Ambos conceitos são receptivos aos recursos avançados de seating, como estabilizadores de tronco, encostos e encostos anatômicos e almofadas especiais.

Itens de configuração são importantes

A variedade de configurações muda conforme marca e modelo de produto. Todos itens são importantes e devem ser observados, porém em termos mais gerais alguns itens são fundamentais para que o equipamento atinja minimamente seus objetivos.

Todas configurações que dizem respeito ao biotipo do usuário são de extrema importância, portanto, escolher corretamente baseado nas medidas da pessoa — a largura, altura do encosto e profundidade do assento — são requisitos mínimos, como também alteração de caster, cambagem, centro de gravidade e tilt no produto.

Algumas configurações dizem respeito ao ambiente de uso, por exemplo, se a cadeira de rodas fecha ou não em “X” —cadeiras de rodas que fecham são mais fáceis de transportar e armazenar. Por outro lado, as cadeiras de rodas monobloco que não tem essa facilidade são mais rígidas, com manobridade mais precisa, porém em algumas situações podem necessitar suspensão.

Encosto reclinável e pé-articulado são itens que muitas vezes são associados ao conforto, mas também podem ser associados a mudanças de postura ao longo do dia, buscando a melhoria da circulação de sangue no corpo.

Caso o usuário pretenda usar uma almofada especial, inflável, auto-inflável ou de gel, deve solicitar a cadeira de rodas com assento rígido para que a almofada tenha total eficiência, pois elas são desenvolvidas para funcionar sobre uma base rígida.

O uso de pneus infláveis ou maciços também pode parecer uma decisão simples, mas tem impacto no uso do produto ao longo do tempo. Pneus infláveis são mais confortáveis, porém exigem manutenção semanal e tem o risco de furar. Os pneus maciços são livres de manutenção, mas tem o inconveniente do desconforto em pisos muito irregulares.

Percebeu como é importante conhecer os tipos de cadeiras de rodas? Além de escolher a melhor opção para o tipo de lesão, a pessoa com deficiência física terá mais conforto, melhorando também a sua qualidade de vida!

Para saber mais sobre o assunto, siga nos acompanhando. Não deixe de visitar nossa página de produtos!